Spell Forest

Vita

Spell Forest é uma banda de Black Metal de São Paulo S/P, teve sua formação em 1995, mergulhada nas profundezas do Satanismo tradicional e seu caminho esquerdo de autoconhecimento e poder.

Ao contrário do que muitos ateus e pseudo judaico-cristãos pensam, nossas crenças e origens vêm muito antes do que qualquer deus ou mentira bíblica, vem de uma época em que nem se sonharia criar um deus e um povo tão grosseiro, fétido, alienado e manipulador.

Nós vivemos e acreditamos em um grande Rei chamado Satanás, que é um nome forte de oposição e questionamento, mas também é possível enumerar dezenas de outros nomes conhecidos e aceitos em diversas culturas, que por sinal são mais antigas do que as religiões dominantes, tais como: Seth, Shaitan, Ahriman, Ishtar, Angra, Mainyu, dentre outros, os quais foram adorados e reverenciados em culturas a cerca de 3000 anos antes do nascimento da religião cristã, que foi responsável por afogar a mulher, a humanidade e toda a terra em milênios de ignorância e manipulação, sendo contra qualquer tipo de avanço ideológico, científico e cultural.

Nós somos seres livres e não vivemos em função de um livro escrito por alguém que talvez nunca tenha existido. Vivemos de acordo com o que achamos melhor para nós mesmos, progredimos e crescemos com o nosso próprio esforço e não com rezas baratas para conseguir algo mentiroso e desleal, assim sempre será entre as pessoas que adoram e querem fortalecer a cada dia mais o grande rei das profundezas do abismo.

No entanto, o nosso caminho esquerdo não tem ligação alguma com a escória bíblica ou sequer existe por causa dela, mas gostamos muito de profanar e tocar nesse assunto, porque é o grande e maior mal da humanidade. Profanar essa desgraça e contestar algo que é plena mentira está em nossa alma e em nosso sangue. Em 1998, houve a entrada de Lord Mephyr (vocalista, guitarrista e tecladista), o qual tornou-se mentor da Spell Forest, também entraram Prosathanus (guitarrista), Amon (baterista) e Flagellum nos teclados. Nessa mesma época, a Spell Forest realizou seus dois primeiros shows, um deles sendo em São Paulo e o outro em Goiás.

Outro fato que não pode ser esquecido e é uma parte vergonhosa do início conturbado da banda, é a expulsão e execração de um ser medíocre chamado Grand Duke Ahriman. Não gostamos muito de citar essa “bosta”, mas já que é uma biografia, acho que nós temos o dever e a obrigação de contar toda a história da banda para nossos fãs e apoiadores. Esse verme com extrema falsidade e desenvoltura na arte da manipulação tinha o intuito de cantar e devido a sua precariedade musical e por ser um completo analfabeto, foi apenas o que tentou fazer. Devido sua visão conturbada e confusa sobre o ocultismo, logo no começo ele tentou implementar ideias totalmente perdidas sobre o que era o Satanismo, isso previamente proibido e contestado por Lord Mephyr e por fim, foi literalmente humilhado e expulso da banda. Até hoje ele está se modificando, pulando de crença em crença totalmente perdido em suas ideias e como se não bastasse, o ser inapto continua fazendo sua autopromoção barata à custa das artes negras e pensando sempre muito mais em visuais xucros do que em evoluir musicalmente. Diante de todos os motivos expostos, concluímos que ele sempre foi e sempre será uma pessoa incapaz de lutar por qualquer irmão e até mesmo por si próprio, sendo um covarde que se esconde na luz de sua burrice e menosprezado por qualquer espécie de ser humano. Acreditamos que o fim dele seja um só, como evangélico.

Após esse infortúnio, foi gravada a primeira demo ensaio, a qual foi intitulada “Adornus Satani”, contendo duas músicas compostas por Prosathanus.

Em 2000, foi gravada ao vivo a segunda demotape da banda, dessa vez com algumas composições de Lord Mephyr, juntamente com as duas músicas da versão de 1998 regravadas.

Em 2001, Prosathanus deixa a banda para se dedicar a outro projeto e a banda passa a contar somente com Lord Mephyr (vocal, guitarra, baixo, violão e teclados), Hamon (bateria) e Flagellum (guitarra).

Neste mesmo ano, a Spell Forest lança seu primeiro álbum pela Somber Music, intitulado “Adornus Satani”, contando com doze músicas inéditas.

Em 2003, Daemon Est Deus Inversus (baixo), Vlad D’hades (guitarra) entram para completar a formação da banda.

Em 2004, Spell Forest realiza um show em Campos do Jordão, cidade localizada no interior de São Paulo.

Após um período de falta de contatos, apoio de gravadoras e grandes dificuldades financeiras, a banda se vê incapaz de concluir rapidamente seu novo projeto,  neste mesmo ano, a banda entra em estúdio pra lançar seu segundo álbum, intitulado “Lucifer Rex”.

Em 2005, o álbum “Lucifer Rex” foi lançado pela Goat Music Records.

Neste ano a banda fez seu último show, que foi no Arena Metal Club em Osasco.

No final de 2005, “Lucifer Rex” foi lançado na Europa pelo selo italiano B.T.D.O. e os integrantes Vlad D’hades e Daemon Est Deus Inversus deixam a banda pra dar continuidade a projetos pessoais.

Em 2006, o álbum “Adornus Satani” é remixado e remasterizado, seu relançamento ocorreu de forma independente.

Em 2007, Spell Forest lança seu terceiro álbum em formato jewel case e digipack, também de forma independente, intitulado “Lucifer Rex II – Celebrare a furvum luna in martis”, contando com dezesseis faixas, as quais totalizam mais de uma hora de adoração ao caos e ao grande Rei. Um álbum conceitual, aproveitando algumas faixas que não entraram no álbum “Lucifer Rex”. O “Lucifer Rex” encerra-se com uma pequena outro, a qual foi utilizada como primeira música no “Lucifer Rex II”, criando um conceito também de capa que é basicamente o contexto de um mesmo cenário com perspectivas diferentes.

Em 2009, foi lançado digitalmente o álbum “Verum”, que até então é o álbum mais sujo e cru da banda.

Em 2010, após muitos anos na bateria, o integrante Amon deixa a banda para dedicar-se somente a seu projeto principal.

Em 2011, quando Lord Mephyr fica definitivamente sozinho com a Spell Forest, resolve antes de procurar uma nova formação, produzir um álbum conceitual atmosférico, inspirado em trilhas sonoras clássicas e ambientes ritualísticos. Todo o conceito de músicas orquestrais e atmosféricas que já existiam desde o álbum “Adornus Satani” foi retomado para este trabalho.

Durante anos, Lord Mephyr teve vontade de fazer esse tipo de música, então resolveu colocar isso em prática em 2011, misturando ideologia, atmosfera ritualística e música, tudo isso em uma obra conceitual, foi um álbum bem polêmico e incompreendido por muitos imbecis, que não levam a sério uma atmosfera abismal, nem são capazes de absorver uma sinfonia caótica e obscura. Muitos acharam que a Spell Forest tinha mudado e que não era mais o mesmo BLACK METAL.

As pessoas que acompanham e respeitam a Spell Forest, sabem que isso faz parte da banda e que já era esperado, portanto fica um recado para os metaleiros, ateus, religiosos, modistas e toda essa escória, que não ouçam a Spell Forest, pois o que não é compreendido como uma filosofia maior, não é feita para ser desfrutada por almas perdidas e confusas.

Em 2012, finalmente “Verum” é lançado em formato digipack e normal pela Corvo Records, contendo uma música bônus gravada em 2012.

Em novembro de 2012, após quase 20 anos de existência, a Spell Forest conta com um baterista próprio, chamado Pestiferatt XIII, que entra para finalmente deixar a banda mais livre para a criação de suas músicas e agregar valor com seu grande comprometimento.

Em 2013, foi lançado digitalmente o sexto álbum, intitulado “Catastrophe Altar”. Neste mesmo ano, Spell Forest fez um acordo com o selo Pagan War Rex para distribuição de todos os álbuns lançados até hoje e ainda fez outro acordo com o selo Pagan War Rex/wolves Curse Records pra lançar o álbum “Catastrophe Altar” em formato A5 digipack com distribuição Europeia.

Em 2014, a Spell Forest completa sua formação com os integrantes Flagellum (antigo membro) nas guitarras e Lord Morpheus no baixo.

Spell Forest lança pela Corvo Records seu último álbum intitulado, “Catastrophe Altar” em jewel case.

Ainda em 2014, entra em acordo para lançar via Drakkar Brasil seu sétimo álbum intitulado “Per triangulum autem serpentis nefarium”, suas gravações começam em setembro deste ano e o seu lançamento está previsto para 2015.